Se informe

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Um porre para (não) comemorar a vida.

banheiro imundo da porra
fui me segurando pelas paredes encardidas
o chão cada vez mais próximo do meu nariz
puxo o fôlego e me ajoelho em frente a privada
mas que merda, que merda de vida.
os olhos cada vez mais pesados,
os ouvidos ainda zunindo por causa da música
muito favorável pra um sono profundo
cada vez mais distante de mim...
encosto a cabeça na parede
e foda-se esse cheiro de urina na parede
acendo um cigarro e penso mais umas vezes no que eu to fazendo
penso, penso e não chego a conclusão nenhuma.
as cinzas caem na minha calça e eu quase sinto elas queimarem a minha perna.
alguém entra e ri da minha cara, tira uma foto pra depois
sinto tudo começar a rodar e tento puxar o fôlego pra fingir que adiantaria alguma coisa
finjo sanidade, finjo e continuo fingindo
desmaio
(...)
“vergonhoso”, “deplorável”
estou andando, mas não são minhas pernas
acho que quebrei o pescoço, muito pesado pra levantar
vejo as estrelas, dou risada e antes que saiba o motivo da gargalhada já dormi de novo.
com um vento gelado acordo e sinto que cai novamente
alguém quer respostas me dando bofetadas
eu só sei rir como se estivessem me fazendo cócegas
sinto o corpo leve como se fosse flutuar.
se o vento batesse muito forte penso que levantaria voo.
então eu levanto, minhas pernas estão fortes e leves,
ai eu corro, saio voando...
sou um anjo, acho que morri...
vejo as estrelas piscando e passando aos pares por mim,
aceno e elas retribuem cantando.
mas nesse universo particular alguma coisa me prende
me segura com força e me puxa pro chão
acordo com um pulo
abro os olhos e estou de volta na cama.
já é outro dia
outro qualquer dia detestável.

4 comentários:

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Bem sacado. "Só quem esteve lá reconhece o cheiro"

Kelly Christi disse...

rs... falou e disse.

bjitos

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

Chá das 6 disse...

então.

A parte do "cada vez mais distante de mim" eu entendo bem.

Mas já saí dessa, só que precisei me afastar de tudo uns tempos. Pra pensar e refletir, longe de tudo, inclusive da bebida, dos cigarros e das mulheres.

Ana disse...

falei pra largar as drogas... eu disse... oiahoiaaoih
beijo.